quinta-feira, 8 de setembro de 2011

Reconexão - uma outra forma de cura?

Há cerca de 1 ano recebi um email duma amiga, com um link para o filme “A matriz viva” (versão dobrada em espanhol), documentário que me impressionou logo nos primeiros 6 minutos, onde relata a cura dum miúdo com paralisia cerebral. Esse filme pôs-me curioso sobre a técnica que o terapeuta Eric Pearl diz poder ensinar a qualquer pessoa e funcionar com numerosas outras doenças “incuráveis” como Esclerose Múltipla e Cancro.
Como tantas outras coisas, a minha preguiça foi mais forte que a curiosidade, apesar de ter redireccionado o mail para amigos uma das quais tem paralisia cerebral. E passou um ano até receber novo email da mesma amiga com novo link para um filme deste terapeuta, acompanhado destas palavras:
“Estamos a caminho duma nova DIMENSÃO...estar atentos é uma estratégia possível e ao alcance de todos!”
A Reconexão” (vídeo legendado em Português).
Trata-se do lançamento do livro com esse nome, escrito em Português que pode ser encontrado nesta pagina

Fiz logo uma pesquisa com a compilação de alguns textos (em Português) do site oficial que tem vastíssima literatura e vídeos, a maioria em Inglês. Mandei vir o livro da Wook, (13,54€) e senti que estava ali qualquer coisa para seguir atentamente, pelo que passei a palavra a uma amiga, dona da “Espaço aberto- agente alternativa” que nos conseguiu uma entrevista com ele no Porto e maneira de frequentarmos os seminários (I e II) que ele facilitou em Lisboa.

Na entrevista ficamos impressionados pela sua presença e simplicidade, a postura serena de quem sabe o que quer e o que fazer para o obter.
Sobre a apresentação do livro que ele fez no mesmo dia da entrevista, produzi este texto para a revista:

« Em 30 de Agosto fomos assistir à apresentação do livro “A Reconexão” pelo autor Eric Pearl. A sala anexa ao restaurante do Corte Inglés de Gaia estava cheia com duas centenas de pessoas que pacientemente aguardavam o autor desta nova forma de cura.
Talvez a maioria fosse atraída pelo seu livro, que conta detalhadamente como deixou para trás uma importante carreira como quiroprático em Los Angeles, ou então pelo documentário “The Living Matrix – A matriz da vida” sobre as novas ciências de cura, que abre com a extraordinária cura dum seu paciente com paralisia cerebral, ou pelos elogios dos mais diversos quadrantes, ou pela sua fama que o faz hoje correr o mundo a formar facilitadores (que diz serem mais de 75000, 20% dos quais ligados à medicina convencional).
Durante a apresentação fez uma exposição sumária do seu trabalho e brindou-nos com uma surpreendente demonstração de cura duma senhora que há 9 anos não conseguia levantar os braços mais alto que os ombros, na sequência duma intervenção cirúrgica.
Começou por simplesmente lhe dizer: “Vamos só brincar com as suas mãos”. Ao fim dum tempo de mover as suas mãos à volta mas sem tocar na mão da senhora (que não obstante dizia sentir vontade de mexer os dedos) disse-lhe: “Antes de trabalhar com os ombros, lembre-me até que altura os seus braços vão”.
Como anteriormente ela parou de levantar os braços na altura dos ombros, mas ele sugeriu-lhe deixar os braços relaxados e fazer de conta que eram um casaco pesado. Com gentileza pegou nos braços da paciente e levou-os bem acima da cabeça até as mãos se tocarem. O espanto foi geral quando, a medo, ela conseguiu o mesmo sozinha, verificando com lágrimas nos olhos que a cura já tinha tido lugar.»
No seminário desse fim de semana fomos confrontados com uma experiência total, que excedeu as nossas expectativas, vindos com a certeza de que adquirimos esse “dom”, essa capacidade de facilitar aparentes “milagres”. Vivemos numa época em que existem tantos apelos às mais diversas técnicas de cura (energética e não só), que acho que a nossa maior aquisição foi a da certeza que tudo isto é possível, que isto não é mais uma técnica ou um logro, que os vídeos que eu visionei e coligi são verdadeiros e mal reflectem desta onda de entusiasmo à volta desta cura (éramos mais de 300 no seminário, metade dos quais continuou pelo 3º nível mais dois dias), que em uma dúzia de anos já fez mais de 75.000 praticantes em mais de 60 países.

Por isso viemos na disposição de rever toda a nossa prática curativa das técnicas que praticamos (Reiki, Toque Quântico, EFT,…) os quais nos parecem agora muito mais “pobres” e limitadas, e entrar neste outro nível onde a cura é mais simples, mais imediata (uma a 3 sessões de 30 min), mais profunda e duradoura, fazendo ascender o paciente a novos níveis emocionais e de consciência que são por vezes mais importantes que a cura (física) em si.

Ao contrário de outros sistemas de cura, a cura reconectiva não deve ser gratuita, pois os seus efeitos não seriam os mesmos sem uma troca justa. O que é gratuito tende a ser desvalorizado, as pessoas não “investem” na sua evolução e por isso têm dificuldade em fazer a sua parte, que é a de resolverem “deixar ir” os problemas que atraíram e alimentam nas suas vidas. E isso faz toda a diferença, pois mais que acreditar é preciso ter a intenção real e total de se curarem, e como podem ter essa vontade se nem colocam a sua gratidão e generosidade no reconhecimento da cura? A maioria das pessoas acredita que “Não há almoços grátis”, que tudo que tem valor tem um preço, apesar de não pagarem pelo ar que respiram e é fundamental para as suas vidas. E por via disso resolvemos disponibilizar desde já, por um tempo limitado, a experiência desta cura aos amigos que queiram senti-la por si por um valor de 37€ por sessão (muito abaixo do normal -- 111 a 150€ cada).

AxiotonalLines.jpgE para que não haja equívocos, não prometemos nada pois não somos nós que curamos mas a inteligência do corpo da pessoa em conexão com a Inteligência Universal. Acreditamos que a cura tem sempre lugar, embora algumas vezes não tome a forma que o paciente antecipava (e que talvez o Universo entenda não ser a melhor nesse momento). Muitas vezes acontece só passado dias as pessoas sentirem os benefícios maiores, e se nalguns casos haja vantagem em repetir mais uma ou duas sessões (e não mais), normalmente as pessoas ficam satisfeitas com os resultados obtidos na primeira.

Preparamos um espaço no Soajo e vamos preparar outros no Porto e Gaia onde queremos dar a conhecer esta maravilha, convidando os nossos amigos para experienciarem esta reconexão entre os nossos meridianos e as linhas axiotonais da energia cósmica que nos envolvem.
Informem-se e sigam o vosso coração.

quarta-feira, 27 de julho de 2011

O método secreto de atrair a felicidade

Uma preciosa inscrição, o Gokai Sansho, cuidadosamente redigida por Mikao Usui sobre um delicado pedaço de seda, foi por ele colocada em destaque numa das paredes da sua Gakkai(clínica/escola) e era repetida em cada duplicação do Hikkei(manual) através do qual foi divulgado o seu maravilhoso método de cura, o Usui Reiki Ryoho,que, naquela época era chamado Usui Do(Caminho de Usui) ou então Usui Teate (Toque das Mãos de Usui, ou Cura Através das Mãos Segundo Usui).
Os chamados Princípios do Reiki, Gokai Sansho em japonês, constituem um pequeno conjunto de preceitos preconizados por Mikao Usui. Eles constituem como que uma regra de vida tendente a melhorar significativamente a forma como cada um de nós se relaciona consigo próprio, com a sociedade em geral e com o meio ambiente. Sugere-se a todos a busca do seu pleno cumprimento, particularmente aos praticantes de Reiki, podendo dizer-se que constitui umatarefa para toda a vida, uma vez que dificilmente alguém a conseguiráconcretizar cabalmente.

Eles reflectem, primeiro que nada, toda a ancestral sabedoria oriental, baseada numa filosofia e numa tradição muito sólidas, da qual fazem parte pelo menos normas xintoístas, budistas e taoistas e que exprimem a transcendenteimportância que tais povos desde sempre têm dado ao equilíbrio da parceriamente-espírito-matéria.

Embora tais princípios venham sendo apresentados ao longo de muitos anos como tendo sido integralmente concebidos pelo próprio Mikao Usui
[1], na realidade, ele apenas adaptou as máximas (preceitos ou regras de vida) estabelecidas pelo imperador Meiji[2] para seu uso pessoal, bem como dos seus súbditos. De acordo com a ilustração, em que o texto nela contido é lido da direita para a esquerda e de cima para baixo, podemos observar, coluna a coluna:
Chofcuno ihoo
O método secreto de atrair a felicidade
Mambió no leiacu
O remédio espiritual para todas as doenças
Queo daqueuá
Só por hoje
Ocoru-na
Fica sereno
Chimpai suná
Fica tranquilo
Can Chaxté
Sê grato
Goo agué mé
Trabalha com afinco
Xtoni chinsetsuni
Sê bondoso para todos
Assaiu ga choxté cocoroninenji, cuchini tanaeio
De manhã e à noite, senta-te em gassho, recita estas palavras e sente-as no coração
Chin chin cáizen, Usui Leiqui Riooco
(para) Melhorar o corpo e o espírito, Usui Reiki Ryoho
Chosso Usui Micáo
O fundador Mikao Usui
A adequação dos princípios ao nosso uso pessoal, passa por modificarmos parcialmente o discurso, colocando-o na primeira pessoa do singular, a fim de melhor o interiorizarmos:


Só por hoje...
Estou sereno
Estou tranquilo
Sou grato
Trabalho com afinco
Sou bondoso para todos

Tendo em conta a prática quotidiana destes preceitos, a experiência de distintas vivências ir-se-á encarregar de revelar a cada um de nós que o trajecto mais simples, aquele que mais alegrias e satisfações nos poderá trazer, acabará sempre por ser o caminho do bem, o de praticar e difundir o amor incondicional, que é ao fim e ao cabo o que preconizam os princípios do Reiki e que são coincidentes com aquilo para que a intuição nos tentava chamar a atenção.

É minha convicção pessoal que a bênção que me foi concedida pelo Universo ao transformar-me, através da iniciação, num canal da energia de cura, implica uma dívida pessoal que devo ter a preocupação de saldar enquanto me for fisicamente possível, procurando tornar-me melhor, mais puro, mais alegre, a fim de poder irradiar amor incondicional por todos os seres que me rodeiam.

Só por hoje...
Para tanto, de acordo com as instruções de Usui, reflicto diariamente e procuro levar à prática cada um destes princípios, o que com o tempo tem vindo a simplificar o seu cumprimento, pese embora o facto de por vezes ainda cometer erros tremendos.

O método que utilizo, que me foi transmitido por outros mestres, e que sinto que resulta bem, consiste em:
  • logo pela manhã, ao acordar, enumero três vezes a lista de princípios e prometo a mim próprio procurar cumprir cada um deles tão bem quanto as minhas capacidades o permitam;
  •  durante o dia, sempre que me lembro, tento não os contrariar com acções nefastas não apenas para os outros, mas sobretudo para mim próprio;
  • à noite, prestes a ir-me deitar, ao iniciar o auto-tratamento, repito três vezes a sua enumeração e de seguida, pondero seriamente acerca do modo como decorreu o meu dia e analiso quais as circunstâncias em que cumpri menos bem os preceitos, ou aquelas em que de todo os não cumpri e, no decorrer dessa meditação, procuro a forma de reparar os erros cometidos.
Como se pode constatar, não é mais que uma rotina, uma rotina salutar e que não envolve muito tempo, e que se outra vantagem não tiver, tem pelo menos a de me pôr a pensar em mim próprio e de me levar a amar-me mais um pouco, aprendendo a reconhecer e lidar com os meus defeitos e limitações, como via para conseguir amar mais e melhor cada um dos meus semelhantes.

Tratemos agora de nos debruçarmos sobre cada um dos princípios em particular, a fim de captar o seu verdadeiro significado.

Estou sereno
Irritarmo-nos, deixarmo-nos dominar pela ira, zangarmo-nos, criticarmos, são actos inúteis, ineficazes e prejudiciais e, ao fazê-lo, pomos em movimentoenergias desagregadoras, dividimos e colocamos barreiras. Pelo contrário, aserenidade transporta em si energias boas, úteis...

Esquecemo-nos muito facilmente de que cada uma das pessoas que nosrodeiam, ou que nos contactam, mesmo que esporadicamente, é o reflexo de uma parte de nós mesmos ou da nossa consciência, que está ali, como que umespelho, para nos ajudar a olhar para nós, a tomar consciência do que somos e a conhecermo-nos melhor, para nos permitir aprender qualquer lição, para nos permitir construir mais facilmente o nosso caminho.

Ao zangarmo-nos com ela ou ao criticá-la, estamos a zangar-nos ou a criticar essa parte de nós mesmos. Mais grave ainda, criamos em nós entidades energéticas, que enquanto não forem libertas, continuarão a reclamar o seusustento energético, mesmo depois de termos esquecido o motivo da zanga ou da crítica.

Os nossos pensamentos são como sementes que acabarão um dia por dar fruto. Esse fruto, quando chegar à maturidade, será por nós colhido, quer queiramos quer não. No campo da consciência, semear é facultativo, mas colher éobrigatório. Muitos ditados da nossa sabedoria ancestral ensinam isso mesmo: "Quem semeia ventos colhe tempestades", "Não cuspas para o ar", etc.

Criticar ou recusar uma parte de nós mesmos é dar ordens ao nosso sistema de comando, para não alimentar com energia essa parte que não aceitamos ou de que temos vergonha. Quando uma parte do nosso corpo é tratada dessa maneira, as células irão deformar-se, degenerar ou morrer.

Quando alguém desencadeia a nossa irritação, a forma correcta de reagirmos é procurar determinar qual a parte de nós mesmos que está a insurgir-se. Regra geral, trata-se de uma parte que não queremos aceitar, um sentimento reprimido, uma energia considerada inaceitável pela sociedade ou pelo sistema em que evoluímos.

Essa parte de nós mesmos, acabará por ter de ser curada e reintegrada. Tarde ou cedo teremos de reintegrar todas as partes de que somos constituídos, pois só quando formos unos com tudo e com todos, teremos por fim realizado a nossamissão.

Estou tranquilo
O facto de nos preocuparmos ocorre por não nos lembrarmos de que existe umalógica e uma sincronia que ligam todos os fenómenos entre si. Não há a menorvantagem em preocuparmo-nos com o passado, uma vez que o modo comoreagimos face a determinado número de condicionantes tem sempre por base o conjunto de conhecimentos de que dispomos, fazendo cada um de nós aquilo que tem a fazer, dando sempre o seu melhor.

Ao lamentarmos uma acção passada, é necessário que entendamos que agimosde acordo com os recursos de que dispúnhamos na altura, sendo preferível reflectirmos acerca do ocorrido, procurando a lição que aí se oculta. Mesmo no caso de termos sido vítimas de alguma acção injusta, quem praticou tais acções ficou subordinado a um determinado condicionamento, pelo que será conveniente não alimentarmos iras nem rancores, mas antes desejar que aprendam rapidamente com essas lições.

De nada adianta também preocuparmo-nos com o futuro, uma vez que o estamos a criar a cada momento, pois aquilo que o futuro nos poderá reservar depende e é consequência do presente. Ao cultivarmos uma acção que tenha por base a pureza de pensamentos e atitudes, a bondade e a indulgência, o amor incondicional, então estamos a cultivar um futuro com o qual não teremos de preocupar-nos. Face a isto, o ideal será permanecermos tranquilos.

O simples facto de não nos preocuparmos, induz-nos a encarar maiscalmamente e mais seguramente o dia-a-dia, conscientes de que tudo está agirar em nosso redor a um ritmo adequado e coerente. Tal como cada elemento de que o Universo é composto está a deslocar-se numa órbita perfeita e infalível, também nós só teremos de nos colocar na órbita correcta e deixarmos as preocupações de lado, passando então a sentirmo-nos como um todo, somos nós o Universo.
Ao cultivarmos uma atitude de gratidão, sentimo-nos agradecidos com tudo aquilo que o Universo nos brinda, assim como adquirimos a confiança de quereceberemos tudo aquilo de que realmente necessitamos. Consequentemente, seremos recompensados pela nossa conduta, uma vez que ela está a atrair aabundância.

Cada um de nós tem o direito de aceitar a abundância e, se por alguma razão, nos convencermos de que não merecemos possuir determinados bens, estaremos automaticamente a bloquear o seu fluxo natural. Assim, ao adquirirmos plenaconsciência da abundância que nos rodeia, ao manifestarmos a nossa gratidãopor ela, jamais deixará de nos acompanhar. Contrariamente, ao realçarmos constantemente aquilo que não possuímos, estamos a sujeitar-nos a uma vida decarência.

Segundo o budismo, o apego e a cobiça, constituem a origem do sofrimento. Reflictamos um pouco: Por maior que seja a quantidade de bens que já acumulámos, será que nos sentimos gratos? Temos por hábito manifestar gratidão pelas abundantes refeições com que diariamente nos alimentamos? Já alguma vez nos sentimos gratos por termos um tecto que nos abrigue ou uns sapatos que nos protejam os pés? Será que nos lembramos alguma vez davastidão da abundância em que vivemos?

Sabermos aceitar os fenómenos que nos parecem menos bons é também um sinal de gratidão. Eles não são obra do acaso, mas da existência que construímos, e são lições que aguardam a sua vez de serem aprendidas. Se conseguirmos ultrapassar a mágoa e a dor e, como observadores imparciais, procurarmos as benesses que uma situação aparentemente nefasta nos proporcionou, então teremos entendido o quão vantajoso é sentirmo-nos gratospor tudo.

Trabalho com afinco
O trabalho a que aqui é feita referência não é propriamente aquele que nos garante os meios de subsistência, mas sim o nosso trabalho interior, a nossa evolução como seres humanos. Ao afirmarmos o nosso empenho em trabalharmos com afinco em prol do nosso desenvolvimento espiritual, estamos a comprometer-nos a tirar a necessária vantagem de cada fenómeno, de cada fracção de segundo da nossa existência.

Mikao Usui concebeu o Reiki tendo como derradeiro propósito que todos nós, seres humanos, atingíssemos o sattori (a iluminação), adquirindo a capacidadede curarmos quer a nós quer aos outros, como todo que na realidade somos. Porém, desde então, muito tempo (à escala humana) se passou e a religação àFonte Universal de Vida, do Amor e da Harmonia acabou por se ir perdendo comoobjectivo e hoje permanecemos entorpecidos, não contribuindo para a evolução do todo e permitindo que a raiva, o apego, o ódio e as restantes manifestações afectas à faceta inferior do ego continuem a dificultar essa ligação.

O trabalho que se impõe a cada um de nós é efectivamente que zelemospelo nosso constante aperfeiçoamento e evolução.

Sou bondoso para todos
Após tantos erros cometidos em nome daquilo a que convencionámos chamar progresso e civilização, começamos finalmente a reconhecer que necessitamoserradicar muito rapidamente a nossa propensão egocêntrica de querermos moldar tudo a nosso favor, de tentarmos controlar a natureza. Ao abrimos mão desta tendência, aprendendo a manifestar o nosso amor, bondade erespeito perante todas as formas devida, estaremos a entrar em sintonia com o todo.

Os mais recentes postulados da física, em concordância com o budismo, indicam que não existe matéria, mas apenas energia em distintos níveisvibracionais, interconectados entre si, num todo. Desse ponto de vista o todo somos nós e somos portanto apenas um, pelo que, ao assumirmos perante os outros posturas distintas das indicadas, estaremos a atingir-nos a nós próprios também, como parte desse todo. Ao sermos bondosos, amorosos e respeitadores para com os outros, estaremos simultaneamente a sê-lo paraconnosco próprios, aceitando-nos, funcionando este princípio em ambos os sentidos.

Nesse contexto, o julgamento constitui um aspecto que deverá ser merecedor da nossa melhor atenção, uma vez que consumimos tanta energia a apontar erros aos outros, esquecendo-nos de que estamos apenas a procurar ocultarde nós mesmos aspectos que rejeitamos mas que necessitamos corrigir. Se entendermos que nada do que ocorre à nossa volta é por acaso, mas que se destina a constituir mais uma ferramenta para a nossa evolução, conseguiremos entender mais facilmente o peso negativo do julgamento, caso contrário estaremos constantemente a desperdiçar essas lições.

Claro que é bem mais cómodo julgar o outro, apontar-lhe o dedo, mas foquemos a atenção na nossa mão ao fazermo-lo e contemos quantos dedos estamos a deixar voltados para nós próprios...

[1]         A esmagadora maioria das escolas ocidentais divide-se entre duas teorias, ambas fantasiosas e sem o menor fundamento verídico, havendo aquelas que afirmam que Mikao Usui as recebeu por “canalização”, no decorrer do período de meditação e jejum de 21 dias a que se submeteu no monte Kurama, ao passo que outras remetem a sua “descoberta” para sete anos mais tarde, quando se voltou a deparar com os pedintes que anteriormente havia curado.
[2]         Conhecido no ocidente apenas por Mutsuhito, Meiji Mutsuhito Tenó, que nasceu em Kyoto em 1852 e faleceu em Tokyo em 1912, foi imperador do Japão no período que mediou entre 1867 e a data da sua morte, dando origem à denominada era Meiji, no decorrer da qual, após ter posto fim ao regime feudal que tirava partido de um método de governação por intermédio de um xógum, transferiu a capital para Edo (também Yedo, ou Tokyo, como actualmente é chamada) e instaurou um novo regime, igualmente prepotente e autocrático, porém mascarado de monarquia constitucional, portanto com uma aparência parlamentar e mais liberal. O período da sua governação, no decorrer da qual se verificou um vigoroso impulso na modernização económica e social do país, resultante da sua abertura ao resto do mundo (bem como a expansão territorial, ainda que temporária e como resultado das derrotas infligidas a países vizinhos subdesenvolvidos, nomeadamente à China e à Rússia, respectivamente em 1895, a ilha de T’ai-Wan, o arquipélago dos Pescadores e Leao-Tong, e em 1905, sobretudo a Coreia, o Mandchukuo e posteriormente o Chan-Tong, com o Japão alinhando ao lado das potências colonialistas ocidentais) coincidiu com grande parte da vida de Mikao Usui, tendo decerto as ideias e atitudes do imperador tido grande influência não apenas nele como em muitos outros japoneses, particularmente dos meios intelectual e empresarial.

sexta-feira, 4 de fevereiro de 2011

Curso de Toque Quântico no Mindelo

 

Toque Quântico

O que é o Toque Quântico?
É um método de cura por imposição das mãos que, empregando apenas um toque suave em si próprio ou noutros acelera rapidamente a resposta curativa do corpo.
Quais são os seus princípios?
O Toque Quântico baseia-se em que:
  • A cura energética é real e palpável
  • Qualquer pessoa pode realizar curas em si ou nos outros
  • O amor e a intenção de cura têm impacto e valor terapêuticos
  • Esta habilidade é um dom que todos podemos descobrir.
  • Pode combinar-se com facilidade e eficácia com outras terapias como o Reiki.

NOVO CURSO

Venha à 1ª aula gratuita 

Sexta 25/2/2011(21h) 
2ª aula: Sab. 26/2  (9:30-19:00)
3ª aula: Dom. 27/2 (9:30-19:00) CUSTO: 60€

Facilitadores:

Tilde Carneiro
(919 050 797 / 229 964 387
Sérgio Pinho (sesopi@gmail.com)
(965 590 609 / 936 959 200

T. 938 500 588
Rua 25 de Abril, 21
4485-479 Mindelo
Vila do Conde
(junto á estação de metro de Mindelo)
insightsraiosdeluz@gmail.com

 

agendaalternativaporto@hotmail.com

Tel: 914 247 616 ou 935 986 329 

quinta-feira, 4 de novembro de 2010

PARE COM ISSO!

Na terapia convencional dos problemas da mente, somos confrontados com terapeutas que partem da premissa que estamos de algo modo "desarranjados" e por isso nos tentam  "Consertar". Há diferentes métodos, mas basicamente a mensagem é a deste curto episódio da MadTV (TV louca à letra): devemos parar com o tique, o comportamento, o vício, o pensamento ou a emoção que nos atrapalha. Para quem não sabe Inglês, aí vai a minha tradução do hilariante episódio.
- Dr Spencer?
- Sim pode entrar, só estou a lavar as mãos.
- Sou Catherine Bickman, Carla falou-me de si
- Sim, você a rapariga da caixa…
- Sim, sou eu mesma. Devo deitar-me?
- Não, não, já não fazemos isso. Sente-se sómente. Deixe-me falar-lhe um pouco da minha tarifa. Eu levo 5 dólares pelos primeiros 5 minutos e absolutamente nada depois disso. Como é que isso lhe parece?
- Isso parece-me formidável. De facto, até demasiado bom para ser verdade.
- Eu quase lhe posso garantir que a nossa sessão não dura mais de 4 ou 5 minutos. Não aceitamos pagamentos pelo seguro, por isso terá de pagar em dinheiro ou cheque.
- Uau, ok!
- E eu não dou trocos.
- Está bem.
(O terapeuta olha para o relógio e diz:)
- Comece.
- Começo como?
- Fale-me sobre o seu problema que quer tratar.
- Bem, eu tenho este medo de ser enterrada viva numa caixa. E quando começo a pensar nisso, entro em pânico.
- Já alguém alguma vez tentou enterrá-la viva numa caixa?
- Não, mas só pensar nisso faz a minha vida horrível, não posso ir por túneis ou estar num elevador ou numa casa, em nada que tenha a forma de caixa.
- Então, o que me está a dizer é que é claustrofóbica?
- Sim é isso.
- Está bem, vamos lá Catherine, vou-lhe dizer três palavras agora mesmo, eu quero que as ouça com muita atenção, e que as leva depois para forae as incorpore na sua vida.
- Devo escrevê-las ?
- Bem, se isso a faz sentir confortável, mas são só três palavras, a maioria das pessoas consegue lembrar-se.
- Ok.
- Está pronta?
- Sim.
- Aqui estão: PARE COM ISSO!
- O quê?
- PARE COM ISSO!
- Pare com isso?
- Sim, P-A-R-E-espaço-C-O-M-espaço-I-S-S-O!
- O que é que me está a dizer com isso?
- Veja, é engraçado, digo três simples palavras e não calcula a quantidade de pessoas que diz exactamente as mesmas palavras que você. Olha que isto não é grego, Catherine, isto é Inglês. PARE COM ISSO!
- Então, eu devo simplesmente Parar Com Isto?
- Isso mesmo, não quer continuar a vida tendo medo de ser enterrada viva numa caixa, parece-me horrível.
- Sim, é.
- Então PARE COM ISSO!
- Não consigo, tenho isto desde criança...
- Não, não, não, nós não iremos por aí, pare.
- Então, eu somente tenho de parar de ter medo de ser enterrada viva numa caixa.
- Exactamente. Bem, só passaram 3 minutos por isso vão ser 3 dolares.
- Só tenho 5...
- Eu não dou trocos.
- Então acho que vou gastar os cinco minutos.
- Ok. então, que outros problemas é que quer tratar?
- Ugh, haa, eu tenho bulimia, ponho os meus dedos na garganta...
- PARE COM ISSO! Dedos na garganta? Não faça isso!
- Mas sou compelida a isso. A minha mãe costumava...
- Não, não, não vamos por aí!
- Mas tenho problemas.
- Não, também não vamos por aí!
- Mas o meu horóscopo diz...
- Nós também não vamos por aí, definitivamente!
- Mas...
- Sim, PARE COM ISSO! E que mais ?
- Bem, tenho relações auto-destrutivas com homens...
- PARE COM ISSO! Você quer estar com um homem, não quer?
- Sim..
- Então, PARE COM ISSO! Não seja estúpida, parece um bebé.
- Eu lavo as minhas mãos muitas vezes...
- Isso não faz mal.
- Não faz?
- Eu também lavo as minhas mãos muitas vezes, há muitos germes por aí. Não se preocupe com isso.
-Tenho medo de guiar...
- Então, PARE COM ISSO! Como é que vai aos sítios, meta-se no carro e conduza, sua maluca. PARE COM ISSO!
- PARE VOCÊ COM ISSO! PARE COM ISSO!
- Qual é o problema, Catherine?
- Eu não estou a gostar disto, Eu não estou a gostar nada desta terapia, só me diz para parar com isto.
- E você não gosta disso.
- Não, não gosto.
- Então, você pensa que estamos a ir demasiado depressa?
- Sim, eu penso isso.
- Está bem, deixe-me dar-lhe 8 palavras que eu penso que irá limpar todos esses problemas para si, quer apontá-los agora?
- Sim.
- Está pronta?
- Sim
- Aqui vão as 8 palavras. PARE COM ISSO OU ENTERRO-A VIVA NUMA CAIXA

Se esta não é a sua visão de melhor terapia, experimente outras opções com provas dadas na abordagem de problemas semelhantes ao da heroína (ou vítima) deste episódio. A EFT, a meditação, o Hooponopono são alguns ao seu alcance, sem necessidade dum terapeuta a gritar-lhe para PARAR COM ISSO que o/a incomoda.

terça-feira, 2 de novembro de 2010

ALINHAR OS CHAKRAS

Este exercício deverá proporcionar em poucos minutos ao utilizador uma "centrada energética", visando harmonizar de forma apropriada os sete principais centros subtis de nosso organismo (Chakras).
Poderíamos chamá-lo talvez de Meditação dos Chakras, visto que estes são estimulados sutilmente com os sons e as cores específicas , permitindo que esta curta, intensa e preciosa harmonização seja realizada mesmo nos breves intervalos de sua jornada de trabalho.
É algo novo e bem prático e esperamos que Você tenha resultados bem animadores.
Existem duas versões : a curta (1 minuto cada) e a longa (3 minutos cada)
ALGUMAS VARIAÇÕES:
  1. Alem do som emitido, poderemos simultâneamente falar a frase chave (ideal para quem é mais auditivo)
  2.  Pode tocar o sítio do chakra com uma mão ou as duas em sanduíche. Mesmo que não saiba Reiki ou Toque Quântico, pense em mandar uma energia de cura branca ou da cor do chakra (no ecran) limpando e desbloqueando esse centro. Ideal para quem é muito táctil.
  3. Pode utilizar para outra pessoa, sobretudo com a variação anterior (conectando-se com as mãos). Pode fazê-lo mesmo que ela não esteja presente (faça a si como se você fosse essa pessoa), mas faça-o com amor.

quarta-feira, 27 de outubro de 2010

5 Ritos tibetanos

Tem este nome, uma série de exercícios retirados do livro "A Fonte da Juventude" de Petter Kelder, que prometem melhorar a aparência, recuperação da memória, além de proporcionar o alívio para males crónicos (sinusite, artrite, má digestão).
Essas curas, são reflexo do equilíbrio dos Chakras, já que todos exercícios tem influência na coluna vertebral. O objectivo dos ritos é normalizar a velocidade desses vórtices, até a média apresentada por indivíduos com cerca de 25 anos.
  • Os Ritos podem ser feitos pela manhã ou à noite, o que for mais conveniente.
  • Poderá ser também ser praticado nos dois horários.
  • No inicio o autor recomenda iniciar casa rito com repetições de apenas 3 vezes e ir aumentando diariamente.
  • Mas saiba que não é necessário executar os ritos mais que 21 vezes ao dia, a não ser que esteja muito motivado para isso. 
  • Faça os exercícios todos os dias, o máximo que você pode pular é um dia em cada semana.
  • Se os exercícios são feitos menos de seis dias por semana, os resultados serão muito reduzidos.
  • Se em certos dias o seu tempo é limitado, faça 3 repetições de cada exercício, isso leva menos de cinco minutos.
  • Para obter o benefício máximo, faça os exercícios antes do café da manhã, se possível.
  • Se você estiver muito "enferrujado", prepare-se para os "5 Ritos" começando a andar uma meia hora por dia, se possível.
Alguns exercícios são feitos no chão, sobre um tapete ou qualquer outro forro macio. Os lamas executam o exercícios sobre o que os acidentais chamam de "tapete de oração", com cerca de 60 centímetros de largura e 1,80 metro de comprimento. Ele é bem espesso, feito de lã e um tipo de fibra vegetal. Sua única função é proteger o corpo do frio. No entanto, costuma-se atribuir um sentido religioso a tudo que os lamas fazem, daí o nome de tapete de oração.
RITO 1
  • De pé, erecto, com os braços estendidos para os lados, na horizontal, AS PALMAS PARA BAIXO.
  • Em seguida, gire de um lado a outro até ficar um pouco tonto.
  • Lembre-se! é importante começar a girar partindo da esquerda para a direita. Em outras palavras, se você colocasse um relógio deitado no chão, teria de girar no seguindo os ponteiros deste.
  • De início, a maioria dos adultos não conseguem girar mais do que meia dúzia de vezes sem ficar bastante tonto, e você não deverá tentar mais do que isso.
  • Se tiver vontade de sentar ou deitar para se recuperar da tontura, faça-o à vontade.
  • Então nas primeiras vezes, pratique o rito somente até sentir uma ligeira tontura. C
  • om o tempo, à medida que for fazendo todos os cinco ritos, você será capaz de girar cada vez mais vezes, sentindo menos desconforto.
Respiração:
  • A respiração tem que fluir, não a segure, inspire e expire naturalmente.
A velocidade não é necessária, faça como o seu corpo aguentar.
Para diminuir a tontura, você pode agir como os dançarinos ou patinadores. Antes de começar a girar, focalize a vista num único ponto a sua frente. À medida que for começando a girar, continue fixando esse ponto até onde for possível. Ele acabará saindo do seu campo de vista. Quando isso acontecer, vire a cabeça bem rápido e volte a fixá-lo. Esse ponto de referência lhe permitirá ficar menos desorientado e menos tonto.

O giros em excesso superexcitam alguns dos vórtices, acabando por deixá-los esgotados. Tal prática tem o efeito de inicialmente acelerar o fluxo de energia vital, mas depois bloqueia. Não devemos cometer excessos, uma dúzia de giros é o suficiente para estimular os vórtices.

2º RITO

O segundo rito estimula ainda mais os sete vórtices. Ele também é muito simples.
  • A pessoa fica deitada de costas no chão, sobre um tapete
  • Uma vez deitado de costas, estenda os braços ao longo do corpo e vire as palmas das mãos para o chão, mantendo os dedos fechados.
  • Então, erga a cabeça do chão, encostando o queixo no peito.
  • Ao mesmo tempo, vá levantando as pernas, com os joelhos rectos, até ficarem na vertical.
  • Se possível, deixe as pernas descerem para trás, ficando sobre a cabeça, mas não dobre os joelhos.
  •  
  •  
  •  
  •  

  • Depois, vagarosamente, abaixe a cabeça e pernas, mantendo os joelhos firmes, até voltar à posição inicial.
  • Se for incapaz de manter os joelhos perfeitamente rectos, só dobre-os o mínimo necessário. Mas, prosseguindo na prática, empenhe-se em manter as pernas sempre bem estendidas.
  • Deixe os músculos relaxarem e depois repita o rito.
Respiração:
  • Ao repetir, vá estabelecendo um ritmo mais lento em respiração.
  • Inspire profundamente quando estiver levantando as pernas e a cabeça, exale ao descê-las.
  • Inspire e exale sempre pelo nariz.
  • Entre as repetições, no relaxamento, continue respirando no mesmo ritmo.
  • Quando mais profundas as respirações, melhor.
Um dos lamas me contou que, quando iniciou a prática deste rito, ele era tão velho, fraco e decrépito que não tinha como manter as pernas rectas. Por isso, começou erguendo as pernas dobradas. Pouco a pouco foi ganhando mais elasticidade e, no final de três meses, já era capaz de esticá-las por completo

3º RITO

  • Ajoelhe-se no chão com o corpo erecto e os braços estendidos paralelamente ao corpo.
  • As palmas das mãos devem ficar encostadas na lateral das coxas.
  • Incline a cabeça para a frente, até o queixo tocar o peito.
  • Depois, atire a cabeça para trás, o máximo possível e, ao mesmo tempo, incline-se para trás, o máximo possível, arqueando o corpo.
  • Nesse movimento você se escorará nas mãos que se apoiam nas coxas.
  • Feito isso, volte à posição original até o queixo encostar no seu peito, não force, deixa ele cair apenas.
  • Comece de novo o rito.
Respiração:
  • Como no Rito 2, você deve estabelecer uma respiração ritmada.
  • Inspire profundamente quando arquear a espinha e exale ao voltar à posição erecta.
  • A respiração profunda é extremamente benéfica, por isso encha os pulmões o máximo que conseguir.


    4º RITO

    • Sente-se num tapete no chão com as pernas estendidas para a frente, deixando uma distância de uns quarenta centímetros entre os pés.
    • Mantendo o corpo erecto, coloque as palmas das mãos no chão, voltadas para a frente, ao lado das nádegas.
    • Depois, incline a cabeça, fazendo o queixo tocar o peito.
    • Em seguida, incline a cabeça para trás o máximo possível.
    • Ao mesmo tempo, erga o corpo de modo que os joelhos dobrem enquanto os braços permanecem rectos.
    • O tronco e as coxas deverão ficar rectos, horizontalmente em relação ao chão.
    • Os braços e as pernas estarão em posição perpendicular ao chão. 
    • Então, tensione todos os músculos do corpo que puder.
    • Por fim, relaxe ao voltar à posição inicial e descanse antes de repetir o exercício.
    • Velocidade não é importante, faça-o com calma, até se adaptar
    • Pode fazê-lo seguido sem parar.
    Respiração:


    • Inspire profundamente ao elevar o corpo
    • Segure a respiração durante a tensão dos músculos
    • Exale completamente enquanto voltar à posição inicial.
    • Continue respirando no mesmo ritmo no intervalo entre as repetições.
    5º RITO (O V invertido, a Cobra Yoga)

    • Deite-se de bruços no chão.
    • Em seguida, erga o corpo, apoiando-se nas palmas das mãos e dedos dos pés, que deverão ficar flexionadas.
    • Durante todo o rito, mantenha um distância de cerca de 40-50 centímetros entre os pés e entre as mãos.
    • Mantendo pernas e braços rectos, arqueie a espinha e leve a cabeça para trás o máximo possível.
    • Depois, dobrando-se nos quadris, erga o corpo até ele ficar como um "V" invertido.
    • Ao mesmo tempo, encoste o queixo no peito.
    • Volte à posição inicial e repita.

    • O ritmo talvez pareça difícil, mas garanto que, após uma semana de prática, você vai considerá-lo um dos mais simples.
    • Quanto o estiver executando com destreza, tencione os músculos por um instante, tanto no ponto mais alto como no mais baixo.
    • E, ao abaixar o corpo, procure encostá-lo de leve no chão.
    • Só volta à posição inicial - deitado de bruços- quando tiver completado todo o ciclo de repetições.
    Respiração:
    • Siga o mesmo padrão de respiração profundas e lentas que usou nos outro rito.
    • Inspire ao erguer o corpo e exale quando o abaixar.

    terça-feira, 26 de outubro de 2010

    O factor enzima - como viver mais e nunca ficar doente

    "O Factor Enzima - como viver mais e nunca ficar doente"de Hiromi Shinya (2009) já vendeu mais de 2 milhões de exemplares.
    O autor é Chefe da unidade de cirurgia endoscópica do Beth Israel Medical Center e Professor de cirurgia clínica do Albert Einstein College of Medicine, ambos em Nova Iorque e também consultor do Hospital Maeda e da Clínica Gastrointestinal Hanzomon no Japão.
    Actualmente com mais de 70 anos, continua activamente a trabalhar como médico, passando metade do ano em NY e a outra metade em Tóquio. É o médico japonês mais famoso e trata membros da família real Japonesa e oficiais de topo do governo japonês. Nos estados unidos trata celebridades e Presidentes. No seu trabalho, tratou mais de 300.000 pessoas estudando-lhes a história alimentar, curou cancros do cólon, e foi o inventor da colonoscopia (cirurgia do cólon por endoscopia).
    (...)A Dieta do Factor Enzima e do Estilo de Vida apresentada neste livro, permitiu obter resultados clínicos de 0% de recorrência de casos de cancro.
    Repito: nenhum dos meus pacientes teve de voltar a enfrentar cancros.
    Porquê? Porque os meus pacientes tomaram muito a sério o seu estado de saúde, colocaram toda a sua fé em sustentar a cura do seu corpo, e praticaram diariamente a minha dieta de estilo de vida. É esta dieta de estilo de vida que vos vou ensinar neste livro; um conjunto simples de novos hábitos que vos possibilitarão gozar de uma saúde cheia de vitalidade até uma idade avançada.
    Armado com o conhecimento destas páginas, fica inteiramente à sua escolha decidir entre a doença ou a saúde. No passado, pensava-se que a doença podia e devia ser curada apenas por médicos e medicamentos. Os pacientes eram passivos e
    simplesmente seguiam as instruções do médico e tomavam a medicação prescrita por ele. Porém, vivemos agora uma era onda cada um de nós tem que tomar sobre si a responsabilidade pela sua própria saúde.
    Todos nós esperamos nunca ficar doentes – ou, se ficamos, temos um enorme desejo de melhorar rapidamente. Você pode pensar que isso é impossível, mas eu asseguro-lhe que não é. Neste livro eu proponho um modo de vida que lhe permitirá viver todo o tempo de vida que naturalmente ainda dispõe, sem nunca mais ficar doente.
    (...)

    MITOS (MENTIRAS) COMUNS SOBRE OS ALIMENTOS: (pg. 10)
    • Coma iogurte todos os dias par melhorar a digestão.
    • Beba leite todos os dias para não ficar deficitário em cálcio.
    • Ingira as vitaminas diárias através de suplementos alimentares em vez de comer fruta, uma vez que a fruta tem muitos carbohidratos e calorias.
    • Abstenha-se de comer carbohidratos através do arroz e do pão para não engordar.
    • Tente manter uma dieta rica em proteínas.
    • Mantenha-se hidratado bebendo chá verde Japonês, porque é rico em antioxidantes.
    • Ferva a água antes de beber para remover todos os resquícios de cloro. (...)
    »»»» Mais 31 pgs de excertos do livro 
    O autor no seu site  apresenta a seguinte:
    Ementa para uma boa saúde
    "Uma boa saúde alimentar" é o factor mais importante para você desfrutar de uma vida longa e saudável. Boa saúde alimentar mantém o estômago e o intestino limpo e impede o organismo de diminuir as chamadas "Enzimas Milagre".

    Bons Hábitos Alimentares
    Bons hábitos alimentares são essenciais para uma vida saudável.
    Isto significa manter "as enzimas milagrosas" e manter o intestino limpo. Deve rever os seus hábitos alimentares; O Quê, Quando e Como você come? Você compreende e controlar a sua vida alimentar?

    Divida a ingestão de alimentos de 90% frutas e verduras e 10% de proteína.
     

    Os pontos para se comer bem são os seguintes:

    1.    Coma grãos ou cereais integrais e biológicos.
    2.    Coma mais vegetais.
    3.    Mais de alimentos do mar, menos carne.
    4.    Comer alimentos crus.
    5.    Não coma alimentos oxidados.
    6.    Coma alimentos fermentados.
    7.    Evite leite e produtos lácteos.
    8.    Tome vitaminas e minerais
    9.   Seja disciplinado com os alimentos que você come. Lembre-se, você é o que come!

    • Água Boa  é essencial para sua saúde, especialmente água dura que tem muito cálcio e magnésio mantém seu corpo em um pH alcalino ideal.A quantidade ideal é de cerca de 2 a 3 xícaras de cerca de 1 hora antes de cada refeição.
    • Intestino regular: Iniciar um hábito diário para remover "poluentes intestinal. e para limpar o seu sistema regularmente.
    • Exercício  é bom para sua saúde. Andar a pé (cerca de 2,5 milhas / dia), natação, ténis, golfe, esticar, etc
    • Descanse /durma: Relaxe mentalmente e fisicamente. Tire um tempo suficiente para dormir.
    • Livre-se do Stress / Seja Feliz!: Pensamento Positivo aumenta a imunidade, pensamento negativo diminui a imunidade. Seja bom para si mesmo. Dizer "NÃO" para libertar o stress.